A FPCUB

Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB) tem como objectivos a defesa do ambiente, defesa e divulgação do Património Cultural, Histórico Edificado e Arqueológico através da promoção da bicicleta como forma de mobilidade sustentável (bem como a defesa da segurança dos seus utilizadores), e o desenvolvimento da prática do cicloturismo ecologista de lazer, manutenção e turismo, representando-o internacionalmente e em Portugal.

A FPCUB foi fundada em Setembro de 1987, é uma pessoa colectiva de utilidade pública, sendo composta por 1200 associações (e clubes) representando um total de cerca de 30.000 pessoas.

É uma Organização Não Governamental de Ambiente de âmbito nacional. É membro da ECF (European Cyclists’ Federation), onde colabora em acções para a defesa da bicicleta como forma de mobilidade sustentável; da AIT (Aliança Internacional de Turismo); da FIA (Federação Internacional do Automóvel); e da CONBICI (Coordenadora Ibérica em Defesa da Bicicleta). Tem colaborado com a UNESCO no âmbito da bicicleta. É membro fundador e detém actualmente a presidência do Conselho Executivo da Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente (CPADA). É membro fundador e do executivo da Confederação Portuguesa de Prevenção do Tabagismo (COPPT) e da Union Européenne de Cyclotourisme (UECT).

Promove campanhas de prevenção e contactos, pelas formas possíveis, junto dos órgãos do poder, no sentido de se criarem condições de maior e progressiva segurança rodoviária, para os utilizadores de bicicleta, e consequentemente, de todos os utilizadores da via pública.

Oferece aos associados, entre outros benefícios, um seguro de acidentes pessoais e de morte ou invalidez permanente e outro de responsabilidade civil.

É parceira do IMTT no Plano Nacional de Mobilidade em Bicicleta e outros Modos de Transporte Suave.

Defende a bicicleta prosseguindo as recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde)e estudos que demonstram que a saúde é o factor chave que leva as pessoas a escolherem utilizar a bicicleta, quer para o lazer quer como forma de mobilidade diária, por um lado, e que a utilização da bicicleta tem um elevado potencial para melhorar a saúde pública, por outro, a diversos níveis – doenças coronárias, colesterol, diabetes, obesidade e tabagismo, entre outras.

Desenvolve os projectos Portugal Ciclável com o objectivo de sensibilizar a administração pública para a necessidade de criação de condições seguras para a utilização da bicicleta, como forma complementar de mobilidade, não poluente e em integração com os transportes colectivos. Este projecto desenvolve-se já em diversos municípios de que o Lisboa Ciclável é exemplo (com o desenvolvimento de vias cicláveis e outras infra-estruturas de apoio) tendo sido assinado em 15 de Março de 2000 um protocolo de cooperação com a Câmara Municipal de Lisboa.

Desde 2009 que o projecto Benfica Ciclável está a ser implementado, com o apoio da eea grants e da Agência Portuguesa do Ambiente, CP, Metro, Fertagus e C.M. Lisboa.

A FPCUB tem conseguido ao longo dos anos sensibilizar os operadores de transportes públicos colectivos para permitirem o transporte gratuito de bicicletas por parte dos passageiros. A CP, Fertagus, Metropolitano de Lisboa, Metro do Porto, Transtejo, Soflusa e até a Carris em algumas carreiras permitem hoje o transporte de bicicletas.

Organiza todos os anos o evento Lisboa Antiga em Bicicleta com o objectivo de dar a conhecer Lisboa de uma forma saudável e ecológica e também como acção de sensibilização popular para a importância da bicicleta para as pequenas deslocações pendulares: casa-trabalho ou casa-escola, despertando a população de Lisboa para a liberdade individual e de movimentos que a bicicleta representa. É igualmente um meio de cultura, lazer, educação e convívio que pretende desmistificar a alegada dificuldade das sete colinas.

Promove a bicicleta em campanhas como as 24 Horas a Pedalar pelo Ambiente e comparação entre os níveis de poluição, ruído e espaço ocupado por bicicletas, automóveis e transportes colectivos, para além de inúmeros passeios e actividades em diversos pontos do país colaborando com escolas e Câmaras Municipais.

Tem aderido ao Dia Europeu Sem Carros e Semana Europeia da Mobilidade, tendo organizado e apoiado inúmeras iniciativas em todo o país, em cooperação com diversas Câmaras Municipais e outras entidades.

Em 2006 decidiu criar o Prémio Nacional Mobilidade em Bicicleta como um reconhecimento público do contributo de determinadas entidades que tenham promovido a utilização da bicicleta nas suas múltiplas vertentes, através da criação ou melhoria de condições e de facilidades em Portugal e/ou da divulgação de iniciativas fomentadoras do uso deste veículo não motorizado.

Neste âmbito são anualmente consideradas as categorias: Autarquias, Comunicação Social, Empresas de Transportes Colectivos e Pessoas Individuais. O Prémio é simbólico (constituído por peças em vidro artesanal português) e é entregue na Semana Europeia da Mobilidade numa cerimónia pública.

Organizou em 1992, o Congresso Europeu anual da ECF e o I Congresso Nacional de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta; em 1994 o II Congresso Nacional; em 1996 o III Congresso Nacional de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta “Nove Anos uma Missão de Interesse Público” e o I Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade”.

Em Setembro de 98 participou em Espanha no II Congresso Ibérico A Bicicleta e a Cidade numa co-organização com a associação La Coruña en Bici. No ano 2000 organizou o III Congresso Ibérico na cidade de Aveiro. Em 2002 co-organizou o IV Congresso Ibérico em Gíjon. Em 2004 organizou o V Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade” que teve lugar em Oeiras nos dias 17, 18 e 19 de Setembro, integrado na Semana Europeia da Mobilidade e em Novembro de 2008, organizou o VII Congresso Ibérico em Vila Moura. Organizou em parceria com a Contramano de Sevilha e com a Conbici o VIII Congresso Ibérico em Sevilha, em Outubro de 2010.

Organizou o 52º RALLY da Aliança Internacional de Turismo que se realizou em Mafra em 1995 integrado no “Ano Europeu da Conservação da Natureza” sob o lema do Conselho da Europa: “Pensemos no Futuro – Respeitemos a Natureza”, com a participação de 750 estrangeiros, representando 13 países Europeus, e mais de 1.000 cicloturistas nacionais. Em Julho de 2002 a FPCUB trouxe de novo esta grande iniciativa cicloturística a Portugal (com 1500 cicloturistas de 14 países). Em 2008 teve lugar a em Sesimbra, de 6 a 12 de Julho, a IV Semana Europeia de Cicloturismo.

Em 2012 organizou o IX Congresso Ibérico “A Bicicleta e a Cidade” nos dias 28 Abril a 01 de Maio na Vila da Murtosa. Em Dezembro de 2012 organizou o Festival da Bicicleta Solidária no Terreiro do Paço, em Lisboa e no Porto, na Rotunda Castelo do Queijo.

Há mais de 15 anos, a FPCUB tem feito lóbi junto dos vários ministros da Administração Interna dos sucessivos Governos, junto de todos os Grupos Parlamentares, da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, e das forças de segurança PSP e GNR.

Em 2012 e 2013 integrou a Unidade de Missão para a elaboração da Carta de Mobilidade Ligeira, fazendo pressão junto aos órgãos legislativos para alteração ao Código da Estrada, com resultados bastante favoráveis para os utilizadores de bicicleta.

Em 2013, realizou o Plano de Mobilidade Ciclável para o Município de Loulé.

Organizou e divulgou as primeiras iniciativas de BTT (Bicicletas de Todo o Terreno) em Portugal, introduzindo assim esta actividade em permanente expansão no nosso País.

Desenvolve desde 1987, campanhas nas áreas da Saúde, combate à Droga, SIDA e Prevenção Anti-tabágica. Através da Bicicleta tem vindo a recuperar associados antes dependentes do álcool, droga ou tabaco. Fomenta a utilização da bicicleta em acções de promoção da saúde com escolas e Juntas de Freguesia. Tem defendido a qualidade do ar interior e espaços fechados livres de fumo e tem, neste âmbito, abordado este assunto em diversos fóruns de discussão da qualidade ambiental. Tem comemorado anualmente os Dia Mundial Sem Tabaco (31 Maio) e Dia do Não Fumador (17 Novembro) e organizadas outras acções de sensibilização da população para a prevenção do tabagismo.

Tem promovido o turismo ambiental e a sensibilização para a preservação do Sudoeste Alentejano e da Costa Vicentina, através de acções como o Encontro Internacional de Cicloturismo Sesimbra – Algarve (que teve o seu início no Ano Europeu do Ambiente e cuja 26º edição teve lugar em 2012), que anualmente junta cerca de 3.000 cicloturistas em três dias de pleno e são convívio, ou em acções de Educação Ambiental conjuntas com as delegações em Alto Minho/Viana do Castelo, Norte, Ponte de Sor, Lamego, Lousã/Coimbra, Alpiarça, Bombarral, Évora, Vila Nova de Foz Côa, Viseu, Algarve, Pico, S.Jorge, S.Miguel e Terceira/Açores, Massy Palessiou/Paris-França e Newark /E.U.A.

É o Coordenador Nacional da EuroVeloA Rede Europeia de Rotas Cicláveis, que pretende ligar toda a Europa com vias destinadas à utilização de bicicletas. Para além dos utilizadores de bicicleta visitantes, esta rede cativará também os utilizadores locais, para ambos os propósitos, utilitário e recreativo. Trará benefícios em muitos campos, incluindo transporte, turismo, recreação, ambiente, descongestionamento, mobilidade e segurança rodoviária, desenvolvimento regional, energia, saúde pública e intercâmbio de culturas.

A FPCUB é parceira oficial da Iniciativa Europeia de Cidadãos  30km/h – por ruas seguras. Está também representada pelo seu membro do Conselho Consultivo para a Mobilidade Sustentável, Miguel Barroso, no Grupo de Trabalho sobre a Utilização do Capacete da ECF.

Colocou o ex-Presidente da República, Dr. Mário Soares (hoje Sócio Honorário da FPCUB), a pedalar no âmbito da Presidência Aberta pelo Ambiente, ao longo de 15 Km, num encontro que reuniu mais de 2.500 participantes.

Apoia e desenvolve mais de 300 actividades anuais dos seus associados. Tem-se substituído ao Estado no apoio social à juventude em acções de ocupação saudável e educativa dos tempos livres, assim como no campo da solidariedade.

 

A FPCUB faz da bicicleta uma forma melhor DE viver.

 

See english version